Existir e resistir

Longa-metragem documental “Meu corpo é político” propõe reflexão sobre transexualidade

Por: olhar
Publicado terça-feira, 10 outubro 2017

O longa-metragem “Meu corpo é político”, dirigido por Alice Riff, terá a estreia nacional em Curitiba, na programação do Olhar Internacional de Cinema de Curitiba. Meu corpo é político aborda o cotidiano de quatro militantes LGBT que vivem em periferias de São Paulo. A partir da intimidade e do contexto social deles, o documentário levanta questões contemporâneas sobre a população trans e suas disputas políticas. A narrativa do filme é conduzida por meio do cotidiano de Linn da Quebrada, Paula Beatriz, Fernando Ribeiro e Giu Nonato.

O filme é uma coprodução entre Studio Riff e Paideia Filmes, e é um documentário que se soma à luta LGBT, e principalmente aos Ts da sigla, trazendo um olhar que foge dos padrões já conhecidos de retratar transexuais e travestis, sempre abordando questões relacionadas à sexualidade, prostituição ou violência.

O Brasil é o país que mata mais negros e LGBTs do mundo, de acordo com dados do Transgender Europe. A militância LGBT ao longo das últimas décadas foi se fortalecendo e lutando por direitos e visibilidade, e recentemente a discussão acerca da população Trans e dos marcadores interseccionais (gênero e raça) se intensificaram.

A história é construída a medida em que apresentamos os personagens nos seus cotidianos. O extraordinário nesse filme é o ordinário: sair de casa, ser diretora de ensino de uma escola pública, frequentar faculdade, ter emprego e momentos de lazer. O desenvolvimento da narrativa foi construída conjuntamente com os personagens, por isso a opção de um documentário controlado, no qual as cenas são encenadas por eles próprios a partir da vivência de cada um, em busca desse “corpo político”.

O documentário foi filmado no primeiro semestre de 2016 e teve sua estréia mundial em abril de 2017 no Visions du Réel, importante festival de documentários em Nyon, Suíça. Também foi exibido na Competição de Direitos Humanos do BAFICI – Festival de Cinema Independente de Buenos Aires e está selecionado para o 38º Lovers Torino LGBTQI Visions, que acontecerá no mês de junho na Itália.

SINOPSE

Meu corpo é político aborda o cotidiano de quatro militantes LGBT que vivem em periferias de São Paulo. A partir da intimidade e do contexto social dos personagens, o documentário levanta questões contemporâneas sobre a população trans e suas disputas políticas.

FICHA TÉCNICA

Fernando Ribeiro

Giu Nonato

Linn da Quebrada

Paula Beatriz

Produção: 

Studio Riff

Paideia Filmes

Direção e roteiro

Alice Riff

Produtor Executivo

Heverton Lima

Diretor de Fotografia

Vinícius Berger

Diretora de Produção e Assistente de Direção

Thaísa Valadão

SOBRE A DIRETORA:

Alice Riff é realizadora audiovisual. Formada em Cinema (FAAP) e Ciências Sociais (USP) e pós-graduada em Estudos Brasileiros pela FESPSP. Meu corpo é político é seu primeiro longa metragem como diretora. Realizou anteriormente diversos curtas-metragens, como Orquestra Invisível Let’s Dance (2016), 100% Boliviano, Mano (2014) e Cidade Improvisada (2012), todos voltados a temas ligados aos direitos humanos e juventude. Atualmente finaliza seu segundo longa metragem, Abigarrados, com previsão de estreia para 2018.

 

MEDIUM

blog



COMENTÁRIOS


© 2017 Olhar Distribuição. Todos Direitos Reservados.